terça-feira, 9 de outubro de 2012

Mais consequências para o aquecimento global

Mais uma lista elaborada pelo site GreenSavers.

1.Peixes mais pequenos - Um estudo do Centro de Pesca da Universidade da Columbia Britânica, em Vancouver (Canadá), afirma que os peixes ficarão com menos oxigénio na água e, assim, mais pequenos. O Oceano Índico será o mais afectado (24%), seguido do Atlântico (20%) e Pacífico (14%). O estudo foi publicado pela revista Nature Climate Change.

2.Heroína mais potente - O aumento das concentrações de dióxido de carbono terá um efeito drástico na potência do ópio, extraído das papoilas, de acordo com um estudo do Departamento de Agricultura dos Estados Unidos. O que pode representar drogas como a heroína mais potentes.

3.Mais e mais alergias - Não seria preciso a Universidade da Carolina do Norte, nos Estados Unidos, prever uma maior incidência nos casos alérgicos, devido ao aumento das temperaturas. Quem sofre com alergias respiratórias e asma já sente, há alguns anos, a deterioração da sua condição.

4.Adeus, Whisky - Já se sabe há algum tempo: a Escócia vai sentir na pele o impacto das alterações climáticas num negócio que domina globalmente, a produção de whisky. A falta de qualidade dos cereais – sobretudo o malte – e as cheias nas regiões produtoras deverá tornar o whisky, juntamente com o chocolate, num bem mais escasso.

5.Adeus presunto, bacon, salsichas - O alerta é da Associação Nacional de Porcos da Grã-Bretanha: em 2013, o bacon, salsicha, presunto e torresmo correm risco de deixar a prateleira dos supermercados. O perigo de extinção dos alimentos derivados do porco tem como pano de fundo as fortes secas sentidas nos Estados Unidos, por exemplo.

6.Pedra nos rins - Segundo um estudo publicado na revista científica Proceedings of the National Academy of Sciences, o aumento das temperaturas no planeta pode influenciar a formação de pedra nos rins. O estudo diz que haverá 2,2 milhões de pessoas a sofrer com a doença até 2050, 30% a mais que os casos de hoje. A explicação é que as temperaturas elevadas podem intensificar a desidratação, apontada como um dos principais factores de risco para o surgimento de pedras nos rins, uma vez que o baixo volume de urina leva a concentração de sais que formam os cristais.

7.Céu a cair - Uma pesquisa realizada pela Universidade de Auckland, na Nova Zelândia, analisou a variação da altura das nuvens na última década, a partir de imagens captadas por satélites da NASA. A altura média global das nuvens diminuiu de 30 a 40 metros entre Março de 2000 e Fevereiro de 2010, o que equivale a 1% de sua altura tradicional.
Segundo o estudo, publicado na revista Geophysical Research Letters, a diferença é resultado de uma redução na formação de nuvens em altitudes elevadas. Os cientistas não sabem ao certo quais são as causas dessa baixa, mas especulam que a mudança seja uma reposta ao aquecimento do planeta.

8.Espécies sem rumo - Durante vinte anos, os pesquisadores europeus têm estudado o movimento de populações de aves e borboletas no continente, tendo em conta as cada vez maiores mudanças no clima. Os resultados são preocupantes: os animais não conseguem migrar na velocidade necessária para os habitats com condições propícias para alimentação e procriação e correm riscos de desaparecer, ao se concentrarem em regiões com climas mais hostis.

Sem comentários:

Enviar um comentário

Agradeço antecipadamente o teu comentário, espero que tenhas gostado deste espaço. A tua Opinião conta muito para mim! Obrigada